Tudo sobre jejum intermitente

Os fundamentos da dietética “tradicional” sugerem a perda de peso, aproveitando também a ação dinâmica específica dos alimentos (ADS), ou o gasto energético atribuível aos processos digestivos, de absorção e metabólicos.

Tudo sobre jejum intermitente

Na prática, com o mesmo número de calorias introduzidas, aumentando a divisão das refeições, é possível queimar mais energia para processá-las. Isso permite reduzir os prazos “com o estômago vazio”, evitando a “fome” e mantendo o metabolismo mais rápido.

Hormônios da cortisol e tireóide

Alguns argumentam que essa prática também promove a contenção de um hormônio indesejado, o cortisol (também chamado de “hormônio do estresse”) e a manutenção da função da tireóide (TSH e T3). 

Obviamente, esse sistema funciona desde que a quantidade calórica, a quebra nutricional e as cargas do índice glicêmico das refeições sejam adequadas.

O que é jejum intermitente

Recentemente, foi proposto um sistema de perda de peso completamente oposto que, segundo rumores, produz excelentes resultados: jejum intermitente

Este princípio já está fortemente inflado e, para dizer a verdade, bastante confuso. 

Passamos da “dieta do homem das cavernas”, que envolve uma enorme farra com um ou dois dias de jejum, para o “sistema 16/8” mais fundamentado (onde 16 são as horas de jejum e 8 são aquelas em que 2 ou 3 refeições são consumidas).

O princípio fundamental do jejum intermitente é criar uma “janela” (período de tempo) do jejum com uma duração que afeta o equilíbrio calórico geral e o metabolismo hormonal.

Como funciona

Em condições de abstinência alimentar, além de uma calma total de insulina (lembre-se de que a insulina é o hormônio anabólico por excelência, mas também responsável pelo depósito adiposo), há um aumento significativo em outro hormônio bastante “interessante”: IGF-1.

A privação prolongada de alimentos é responsável pela secreção de GH (somatotropina), também chamada de “hormônio do crescimento” ou, mais simpaticamente, “hormônio do bem-estar”. 

Ao contrário da insulina, o GH, apesar de aumentar a hipertrofia, não determina um depósito adiposo, mas o oposto! Ou seja, promove a lipólise necessária para a perda de peso.

Na prática, o GH melhora a composição corporal “na rodada”.

Jejum intermitente na prática

Atualmente, o jejum intermitente já possui diversas variações e muitas vezes, para alcançar resultados mais rápidos, algumas pessoas praticam jejum intermitente cardapio low carb ao mesmo tempo.

Outra forma de maximizar os resultados é praticando exercícios físicos e considerando os limites do seu corpo, para isso, comece o jejum pouco a pouco e mude apenas quando se sentir confortável. 

O protocolo difere em 3 refeições diárias e 1 sessão de treinamento com uma janela de jejum de 16 horas.

1ª refeição: a ser consumida assim que você se levantar: fonte de proteínas e carboidratos com índice glicêmico médio-baixo; baixo teor de gordura;

2ª refeição:  café da manhã completo e treinamento (musculação ou treinamento de alta intensidade)

3ª refeição:  almoço completo após o treino

Janela de jejum das 13:00 ou 15:00 até a manhã seguinte.

Obviamente, o sistema pode ser adaptado ao estilo de vida do sujeito, mas pessoalmente acho que esse é o melhor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *