Apneia do Sono: Pouca gente sabe que tem!

Olá, hoje, eu vim conversar com vocês sobre um assunto ultra importante que é Apneia do Sono.

Hoje, ela é considerada um problema que afeta o corpo todo e tem consequências no longo prazo que são muito sérias! E a maior parte das pessoas que têm, nem desconfia!

O principal sintoma é a sonolência durante o dia, chamada a sonolência diurna. E por que acontece isto? Durante o sono a pessoa que têm apneia, ela tem um fluxo de ar que vai para os pulmões interrompidos várias vezes por hora.

Às vezes, chega dezenas de vezes por hora! E com esse fluxo diário interrompido, o oxigênio no corpo cai e o cérebro entende isso como uma super emergência!

E dá o alarme para fazer a pessoa respirar! Lógico! O cérebro foi projetado há milhões de anos para fazer a gente sobreviver. E, a falta de oxigênio é uma mega emergência!

E, ele lança o alarme através de substâncias no sangue da gente. Substâncias químicas que incluem hormônios de estresse. Você pode ler mais sobre Stop Ronco Reclame Aqui.

Agora imagina essa mega emergência acontecendo dezenas de vezes por hora, todas as noites, por décadas a fio!

O pobre do cérebro não tem descanso, nessa situação, com essa balbúrdia toda no corpo durante a noite! A primeira consequência é que o sono fica muito fragmentado e, ele não é
reparador.

Mas, o que é grave mesmo, é o tanto que o oxigênio cai multiplicado pelo número de vezes que isso acontece todas as noites.

Agora, o que você precisa saber é que tudo isso acontece enquanto a pessoa está dormindo. Ela não sente nada, nada, nada! E, muitas vezes, até duvida do diagnóstico!

Eu lembro que um dos casos mais graves de apneia do sono que eu já atendi na minha vida, foi um senhor que ele jurava que ele dormia muito bem!

Ele dizia: “Esse exame deve estar errado! Eu durmo muito bem! Eu tenho certeza que eu durmo muito bem todas as noites!

E era um caso gravíssimo porque o Oxigênio descia, descia a cada apneia. E ele fazia muitas e muitas apneias. Então, eu estava falando que esse alarme do cérebro é disparado
com a pessoa dormindo.

E, na maior parte das vezes, ela não sente nada! Só que esses alarmes que são esses hormônios de estresse, no longo prazo, eles provocam consequências muito sérias no corpo!

O aumento do risco de infarto, do risco de AVC, do risco de diabetes, problemas de memória, problemas de concentração, aumento do risco de arritmias cardíacas, aumento do risco de acidentes!

Saiba mais sobre o Stop Ronco Preço aqui!

Como saber se tenho apneia do sono?

Bom, então, quando é que a gente deve desconfiar que têm apneia do sono? Principalmente, quando existe sonolência diurna. Aquele sono incontrolável durante o dia.

E, quando tem dificuldade de concentração, principalmente de manhã. Acorda assim, com o cérebro meio confuso.

E aí, logicamente, é o que é clássico a gente lembrar de apneia, quando a pessoa tem história de roncos muito altos ou então, ela está muito acima do peso e ronca muito.

Mas, eu quero dizer que esses dois fatores, eles não são uma regra. Lógico, a gente tem que pensar em apneia, mas isso não é uma regra.

Eu tenho pacientes que não têm excesso de peso e têm apneia e eu tenho até a pacientes que não roncam e, também têm apneia. Então, o desafio, o olho vivo, tem que ser no diagnóstico!

Como é feito o diagnóstico de apneia do sono?

Como é feito o diagnóstico? É através do exame de sono, a polissonografia, que é a única forma segura de fazer o diagnóstico.

E, se a pessoa tiver efetivamente apneia do sono, a polissonografia, ela avalia a gravidade, avalia o número de vezes que a apneia acontece por hora e avalia a alteração do nível de oxigênio no sangue, que acontece em cada apneia.

E existem várias formas de tratamento que são efetivas. Mas, o principal é fazer o diagnóstico! Muita gente com apneias graves, nem desconfiam e, portanto, nem levam o problema ao médico.

A gente chega a pensar que 85 a 90% das pessoas que têm apneia, elas estão sem diagnóstico e, portanto, sem tratamento.

Então, olho vivo, tá? Se você souber de alguém que possa ter isso, compartilhe esse artigo e, se você quiser aprofundar um pouquinho mais esse assunto, acompanhe o nosso blog.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *