A psicologia dos hormônios

Falamos em outro artigo sobre o que são os hormônios. Como prometido, hoje vamos falar sobre a relação entre hormônios, o que sentimos e o que fazemos. A endocrinologia comportamental é uma área que investiga os efeitos dos hormônios no sistema nervoso de animais powerblue. Os cientistas dessa área estudam vários seres vivos, mas vamos nos focar aqui nos humanos.

Níveis de testosterona

A primeira conclusão importante dessa área é que a relação entre hormônios e comportamentos é bem complicada. Sim, hormônios influenciam alguns comportamentos, mas vários comportamentos também influenciam a liberação de hormônios no nosso corpo. Por exemplo, em uma pesquisa com casais heterossexuais os cientistas concluíram que praticar sexo aumentou os níveis de testosterona muito mais do que os níveis prévios de testosterona impactaram as atividades sexuais.

Outra pesquisa envolveu medir os níveis de testosterona de torcedores brasileiros e italianos do sexo masculino antes e depois da final da copa de 1994. A partida foi muito disputada e decidida nos pênaltis. O principal jogador da Itália na época, Roberto Baggio, chutou pra fora e o Brasil se tornou tetracampeão.

Depois da partida, os torcedores brasileiros apresentaram maiores níveis de testosterona do que os italianos em comparação com os níveis medidos antes da partida. Outra conclusão dessa área é que dificilmente um hormônio é a única causa de um comportamento. Na verdade, os hormônios podem influenciar a probabilidade de alguém agir de certa forma em um contexto apropriado, assim como muitas outras coisas também podem influenciar. Além disso, a ação de um hormônio pode ser impactada por outros hormônios também.Níveis Testosterona

Toda essa “dança química” se desenrolando por detrás das cortinas costuma resultar em um equilíbrio no nosso corpo e nas nossas ações. Mas às vezes a dança não termina muito bem. Existem evidências de que alguns transtornos mentais podem estar relacionados com irregularidades hormonais, tais como o transtorno de personalidade borderline e a depressão, power blue efeitos colaterais. Só que ainda estamos longe de uma conclusão mais precisa e confiável sobre isso por várias razões.

Um outro exemplo de como hormônios e comportamentos podem estar ligados é o caso da ocitocina, veja. Esse hormônio se relaciona com vários comportamentos associados à reprodução e à afiliação, tais como o cuidado parental, a ligação afetiva com outras pessoas e várias outras coisas. Uma pesquisa indicou que casais recém formados tinham níveis mais altos de ocitocina do que pessoas que não tinham um parceiro romântico e os níveis permaneceram estáveis ao longo de 6 meses.

Hormônio do AmorEsses níveis de ocitocina foram capazes de prever não apenas o comprometimento e o afeto atual entre os pombinhos como previu bem até quais casais permaneceram juntos 6 meses depois. Mas por mais interessantes que sejam todos esses dados sobre os hormônios, ainda restam muitas perguntas sem respostas.

Por exemplo, será que a ocitocina é a causa por detrás de tudo isso ou ela foi apenas uma consequência da paixão inicial entre as pessoas? Como já falamos em outro artigo, o fato de existir uma associação entre duas coisas não indica que uma cause a outra ou vice-versa.

Então pra termos maior clareza sobre o papel de alguns hormônios nos comportamentos são necessárias mais pesquisas. Independente disso, sabemos que os hormônios também são muito importantes para o desenvolvimento humano e influenciam quem nos tornaremos desde que somos um feto dentro do útero das nossas mães. Especialmente durante fases como a adolescência, por exemplo, e a menopausa também no caso das mulheres, os hormônios podem impactar muito os nossos comportamentos, mas vamos falar melhor disso em outros artigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *